Começa hoje (7) o IX Congresso Estadual dos Jornalistas do Ceará, evento realizado pelo Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) com o objetivo de ser um espaço de formação, encontro, reflexão, troca de conteúdo e de experiências entre jornalistas, estudantes e comunicadores, ajudando a desenvolver a atividade no estado. As atividades serão realizadas no Centro Cultural Belchior (Rua dos Pacajús, 123) nos dias 7, 8 e 9 de dezembro de 2018, em Fortaleza.

A partir do tema “Internet e (des)informação: o papel do Jornalismo e dos jornalistas”, o evento vai debater o jornalismo como demanda da sociedade, num contexto de desinformação em massa, evidenciado na cobertura eleitoral e que ainda persiste mesmo após o resultado das eleições brasileiras.

O jornalista e professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) Richard Santos ministrará a palestra de abertura sobre “A representatividade da população negra da TV”. Na ocasião, haverá ainda noite de autógrafos do livro “Branquitude e Televisão – a nova (?) África na TV pública”, no qual o jornalista analisa especificamente o programa Nova África, exibido pela TV Brasil, e a forma com que era trabalhada a imagem da única apresentadora negra entre outros dois principais. Antes, serão certificados os 40 alunos concludentes do Curso Abdias Nascimento – Comunicação e Igualdade Racial, promovido pelo Sindjorce entre outubro e novembro de 2018, com a rubrica das universidades Estadual do Ceará (UECE) e Internacional da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Após o lançamento, haverá show com o grupo cearense “Negra Voz”.

Para além das formas tradicionais de exercício profissional, o evento buscará fomentar o desenvolvimento do jornalismo contemporâneo no Ceará ao incentivar a inovação tecnológica, o desenvolvimento de novos conteúdos, formatos e narrativas, incentivando a promoção de novos modelos de negócio. Para isso, o painel “Jornalismo independente e fora dos grandes centros: como fazer, quem financia?” trará experiências sobre cooperativismo, jornalismo investigativo online e mentoria de carreira.

Paula Bianchi, editora no The Intercept Brasil; Luizianne Lins, jornalista, professora licenciada do Curso de Jornalismo da UFC e deputada federal; e Maria José Braga, presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e membro do Conselho de Comunicação do Congresso Nacional, irão debater temas como “Notícias falsas”, “Jornalismo e conjuntura pós-eleitoral” e “Reafirmar o papel do Jornalismo e dos jornalistas”. O tema central do painel, na tarde do sábado, dia 8, é “A desinformação venceu o Jornalismo?”.

Para a presidente do Sindjorce e segunda tesoureira da FENAJ, Samira de Castro, “o contexto atual nos convoca a problematizar o Jornalismo”. “Ao longo dos últimos três anos, o cenário de mídia tem vivenciado um crescimento na quantidade de novas experiências em jornalismo, sobretudo sites e ampliação do uso das mídias sociais pela imprensa. Tudo isso tem influência no profissional, logicamente, o que permite falar de uma nova geração de jornalistas, que, ao mesmo tempo em que precisam preservar a deontologia e a ética profissional, acumulam um perfil diferente, com cultura e necessidades próprias”, comenta.

As inscrições para o Congresso estão sendo realizadas no site do Sindjorce. Os ingressos para o evento custam: R$ 25,00 para estudantes de Jornalismo e profissionais aposentados; R$ 50,00 para jornalistas sindicalizados em dia; e R$ 100,00 para jornalistas sindicalizados inadimplentes, profissionais não-sindicalizados e demais interessados.

O evento tem o apoio da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Banco do Nordeste (BNB), Governo do Estado do Ceará e do mandato da deputada estadual Augusta Brito (PCdoB).

Deixe um comentário

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *