O Ceará Criolo participou nessa terça-feira (9/4) de uma das mesas da Semana de Jornalismo (SeJor) da Universidade Federal do Ceará (UFC). O debate sobre “Editoria de Cidades e Jornalismo Humanizado” aconteceu no auditório Rachel de Queiroz do Centro de Humanidades (CH) II, no Benfica.

Representado pelo jornalista Bruno de Castro, o CC foi o único veículo em defesa de minorias a participar da discussão. Também compuseram a mesa a editora-adjunta do portal O POVO, jornalista Mariana Lazari, e a repórter de Cidades do Sistema Verdes Mares, jornalista Thatiany Nascimento.

“Sou o único negro dessa mesa, mas os negros são a maioria dos brasileiros. Isso mostra que precisamos ocupar mais espaços. E o discurso tradicional das empresas de comunicação não favorece a visibilidade que a gente precisa. Dar voz ao povo negro e a outras minorias não é favor. E a gente, enquanto comunicador, precisa ter isso muito claro durante todo o processo de execução de uma reportagem ou de uma peça publicitária”, disse o editor de conteúdo do Ceará Criolo.

A urgência de as minorias serem pautadas mais positivamente e com mais frequência pelas empresas de comunicação também foi discutida. “Os cadernos especiais que surgem em datas comemorativas como a Consciência Negra são importantes? São. Mas a luta do povo preto acontece no resto do ano também. Não adianta enaltecer a beleza e a força dos negros no dia 20 de novembro e no resto do ano reforçar o estereótipo de o homem negro ser apto a trabalho braçal, viril e quase sempre envolvido em ocorrências policiais. Esse é um discurso perverso e que precisa ser desfeito”, acrescentou Bruno de Castro.

A Semana de Jornalismo da UFC segue até esta quinta-feira (11/4).

Deixe um comentário

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *