O Ceará Criolo é o único veículo de comunicação étnico-racial a concorrer ao 1º Prêmio MPCE de Jornalismo. A lista de candidaturas deferidas pela Comissão Julgadora foi divulgada neste domingo (17/11) pelo Ministério Público. Sessenta produções estão distribuídas em seis categorias: webjornalismo, jornalismo impresso, telejornalismo, radiojornalismo, fotojornalismo e jornalismo acadêmico.

Com a série Vidas Negras Importam, o Ceará Criolo disputa na categoria WebJornalismo – na qual também concorrem Diário do Nordeste Online (3 trabalhos), O POVO Online (3 trabalhos), Blog do Roberto Moreira (1 trabalho), Tribuna do Ceará (1 trabalho), Cariri Revista (1 trabalho) e Site Verminosos por Futebol (2 trabalhos). São, portanto, 12 materiais em busca do título de melhor produção on-line.

O Vidas Negras Importam foi ao ar em 28 de outubro deste ano. É composto de 13 textos sobre suicídio. “É um tema delicado. Por isso mesmo nós decidimos escrever a respeito. Não tínhamos como silenciar diante da estatística de que 85% dos casos no Ceará no ano passado são de pretos e pardos. Além de ser morto pela violência e negligência do Estado, nosso povo está se matando. E quase todas essas mortes por autoextermínio poderiam ter sido evitadas se o estigma em torno da saúde mental não existisse. Desconstruir esse tabu é papel do jornalismo também. Esse especial é uma prestação de serviço ao povo negro”, diz um dos repórteres e editor do portal, jornalista Bruno de Castro.

Coautor do especial, o jornalista Rafael Ayala detalha a linha editorial das reportagens. “A gente se colocou diante de dois desafios. O primeiro era falar sobre vida; sobre a necessidade de nós, enquanto seres humanos, termos coragem de falar sobre o que nos aflige. Porque só assim a gente consegue desistir de querer morrer. O segundo desafio era não usar a palavra suicídio em nenhum momento. Porque qualquer gatilho negligenciado, por menor que fosse, poderia ser responsável pela morte de alguém. E a mensagem que a gente queria passar era a de que quem pensa em tirar a própria vida tem que procurar ajuda. A morte não é uma solução.”

Em vários momentos do Vidas Negras Importam, a campanha Vidas Preservadas, encabeçada pelo Ministério Público do Ceará, é citada como importante mobilização da sociedade civil em torno de uma causa de morte mais letal até do que alguns tipos de câncer.

Além das reportagens assinadas por Bruno de Castro e Rafael Ayala, o Vidas Negras Importam conta com artigo de opinião da publicitária Jéssica Carneiro, imagens do repórter fotográfico Mateus Dantas (o mais novo colaborador do Ceará Criolo) e infográficos da publicitária Rayana Vasconcelos.

O anúncio dos vencedores do 1º Prêmio MPCE de Jornalismo acontecerá no dia 12 de dezembro, em solenidade na sede da Procuradoria Geral de Justiça do Ceará, em Fortaleza. O primeiro lugar de cada categoria profissional receberá R$ 6 mil, enquanto o da categoria acadêmico ganhará R$ 3 mil. O segundo e terceiro colocados receberão certificados.

O especial Vidas Negras Importam pode ser lido aqui.

Deixe um comentário

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *