O especial Vidas Negras Importam, de autoria dos jornalistas Bruno de Castro e Rafael Ayala, e publicado pelo Ceará Criolo no último dia 28 de outubro, foi eleito nessa quinta-feira (12/12) o terceiro melhor trabalho para Internet de 2019 pelo Ministério Público do Estado. Trata-se do primeiro prêmio jornalístico do CC.

A solenidade de entrega do 1º Prêmio MPCE de Jornalismo aconteceu na sede da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), em Fortaleza, e reuniu estudantes e profissionais de televisão, rádio, impresso, web e fotografia, além do jornalista Caco Barcellos.

Sessenta peças que abordaram a atuação do Ministério Público durante o ano participaram do prêmio. Com o Vidas Negras Importam, o Ceará Criolo destacou o programa Vidas Preservadas, promovido pelo MPCE como forma de prevenir o suicídio e que já tem gerado desdobramentos importantes em políticas públicas no estado.

O especial revelou ainda que 85% dos 643 casos de suicídio registrados no Ceará no ano passado foram de pessoas negras (pretas ou pardas). E que para reduzir essa estatística é fundamental acabar com o tabu em torno da saúde mental e desmistificar a máxima de que “o seu problema é problema seu.”

Transtornos mentais estão associados a 90% dos casos de suicídio. Em contrapartida, esse mesmo percentual é o de mortes que poderiam ter sido evitadas se familiares e amigos soubessem detectar os sinais que toda pessoa em sofrimento psicológico dá e se essa pessoa tivesse sido acolhida por uma rede de atenção psicossocial.

Os jornalistas Rafael Ayala e Bruno de Castro

A categoria webjornalismo foi a segunda mais disputada. “A morte em si já é um assunto que o jornalismo precisa abordar com muito cuidado e responsabilidade. Quando a questão é o suicídio, isso ganha um peso ainda maior. Por isso, ao invés de apenas denunciarmos esse índice alarmante de 85% dos casos serem de pessoas negras, a gente preferiu falar de vida nesse especial. Do quanto é possível continuar. Que tirar a própria vida não deve ser opção de ninguém diante de uma fase difícil”, pontua Bruno de Castro.

“Esse especial é pra quem acompanha o CC e está passando por problemas entender que esses problemas vão ficar pra trás e que a vida tem que seguir adiante. A gente, enquanto sociedade, precisa perder o medo de falar sobre o que sente. Guardar as dores pra si mesmo não é o caminho. Foi com essa premissa em mente que a gente desenvolveu o Vidas Negras Importam: para ser uma prestação de serviço”, acrescenta Rafael Ayala.

O Ceará Criolo é um portal de jornalismo independente. Foi criado em outubro de 2018, fruto de uma capacitação do Sindicato dos Jornalistas no Ceará (Sindjorce), e tem se mantido de forma voluntária pelos cinco fundadores desde então. No 1º Prêmio MPCE de Jornalismo, o CC concorreu com trabalhos produzidos por grandes empresas de comunicação.

Deixe um comentário

Categories: Notícias Prêmios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *