>
25 de Outubro, 2021
image processing20200201 29235 1bc2t60

Escritora morreu em 1977

Carolina de Jesus será Doutora Honoris Causa

Um dos nomes mais importantes da literatura negra do Brasil, Carolina Maria de Jesus será homenageada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Na última segunda-feira (9/11), o Conselho de Coordenação do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da instituição aprovou a concessão do título de Doutora Honoris Causa à escritora, compositora e poetisa mineira. Trata-se do título mais importante da UFRJ e só é atribuído a alguém com vasta contribuição à cultura, educação ou à humanidade.

A decisão foi tomada por unanimidade após a direção do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) propor a homenagem póstuma, que se trata de uma forma de reparação a Carolina de Jesus. Durante décadas, a produção literária dela foi questionada por intelectuais da elite branca brasileira. Muitos diziam que o que ela escrevia sequer era literatura.

No parecer da comissão acadêmica do CFCH, o impacto do racismo estrutural na vida da escritora é destacado. “Ela não pôde ultrapassar as barreiras do racismo estrutural da sociedade e sofreu, como mulher, negra e moradora de favela, os efeitos do preconceito e da discriminação infelizmente ainda presentes na sociedade”, diz o documento.

Ao receber o título, a escritora terá o mesmo reconhecimento de figuras como Nelson Mandela, Abdias Nascimento, Milton Santos, Elza Soares, Oprah Winfrey e Muhammad Ali.

Em julho, a Companhia das Letras, maior editora em funcionamento no Brasil, anunciou que publicará uma série de livros de Maria Carolina de Jesus. O anúncio veio 60 anos depois do lançamento de Quarto de Despejo, o maior sucesso editorial da escritora.

QUEM FOI CAROLINA MARIA DE JESUS?
Carolina Maria de Jesus nasceu em Sacramento, Minas Gerais, em 1914, mas viveu a maior parte da vida em São Paulo. Em cadernos que encontrava no lixo, reaproveitava ou adquiria com grande dificuldade, deixou uma extensa produção literária. Alcançou o sucesso com o livro Quarto de despejo: Diário de uma favelada (1960), organizado pelo jornalista Audálio Dantas, mas muitos de seus escritos permanecem inéditos ou fora de circulação há décadas.

https://cearacriolo.com.br/carolina-maria-de-jesus-sera-publicada-pela-maior-editora-do-brasil/

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *