>
19 de Outubro, 2021

Exposição artística aborda construção da identidade negra no Ceará

Realizada pelos artistas idealizadores do Black Inktober e com apoio da Secretaria Municipal de Cultura, a exposição “Pra ficar claro, escureci” segue aberta à visitação até o dia 27 de outubro na Casa do Barão de Camocim, de terça a sexta, das 10h às 17h, aos sábados, das 9h às 16h e possui intérprete de libras.

“No imaginário local, entre conversas corriqueiras ou diálogos formais, não é difícil escutar a negação constante: Não existem negros (as) no Ceará. Eis o fio contraditório que transita a historiografia cearense, numa trama de esquecimentos e silêncios rompidos pelas recentes estatísticas, cujos dados reabrem os porões coloniais e não só constatam a existência da população negra, como comprovam os males do racismo nos mais diversos âmbitos socioculturais”, destaca o texto de divulgação da exposição

De accordo com o Atlas da Violência 2020, divulgado pelo Instituto de Pesquisa e Estatística Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 75,7% das vítimas de homicídios no Brasil são jovens negros. “E o Ceará é o segundo estado com maior taxa de homicídios. Tal assertiva contrapõe o discurso da não existência de negros no Ceará e ainda situa os afrocearenses entre as taxas de maior vulnerabilidade social. Como pode a população que mais morre ser a mesma que não existe?”, questionam os artistas.

Sobre a exposição

A exposição “Pra ficar claro, escureci” foi desenhada pelas mãos de Felipe Heloi, Nycolas Di, Tamires Ferreira e Robson Marques, artistas cearenses confrontando o discurso da inexistência de negros no Ceará por meio da Arte. “A pele, a boca, a mente e o intrínseco emergem como telas vivas para enunciar histórias plurais. É preciso descer ao porão e descobrir a senzala, é necessário sangrar para sentir os vicissitudes da Cura”, analisam os autores.

As obras coletivas expostas são: Que negro/a é você?; Negro é cor?; Tinta Branca no Muro Preto; Oxalá e Negros no poder.

Black Inktober

A exposição nasce a partir do projeto “Black Inktober”, uma iniciativa de Felipe Helói, Nycolas Di, Tamires Ferreira e Robson Marques, que consiste em fazer uma ilustração por dia no mês de Outubro sobre negritude e publicar no Instagram utilizando a hashtag #BlackInktober. O intuito é de enegrecer a tag Inktober, criada por Jake Parker, a fim de que artistas negros pensem a representatividade negra dentro da arte.

Serviço

Exposição “Pra ficar claro, escureci”
Visitação até 27 de outubro
Terça a sexta, das 10h às 17h e aos sábados, das 9h às 16h
Acessibilidade: Interpretação em libras
Uso obrigatório de máscara e respeito aos protocolos sanitários
Casa do Barão de Camocim (Rua General Sampaio, 1632 – Centro)
Gratuita
Mais informações no Instagram: @blackinktober

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *