Três cursos com inscrições abertas para você também ser antirracista

Várias iniciativas autônomas e coletivas nasceram para dar conta do recado e difundir a agenda e as causas da população afro-brasileira. Aqui, reunimos 3 cursos online antirracistas (100% nordestinos) que pautam raça e processos de racialização.

Com a explosão das pautas raciais na Internet e nas mídias tradicionais, incendiadas após o assassinato do ex-segurança norte-americano George Floyd, cresceu o interesse e a urgência do debate sobre como tornar-se antirracista para além das hashtags.

Neste sentido, várias iniciativas autônomas e coletivas nasceram para dar conta do recado e difundir a agenda e as causas da população afro-brasileira. O Ceará Criolo reúne aqui três cursos 100% nordestinos que pautam raça e processos de racialização. Vamos lá?

Racismo e Mídia no Brasil: uma abordagem semiótica (3ª turma!)

O curso, nas palavras das(os) idealizadoras(es), tem o objetivo de fornecer, de maneira introdutória, um instrumental teórico-metodológico para a análise de discursos midiáticos a partir de uma perspectiva antirracista.

Tomando como ponto de partida uma discussão sobre noções gerais de semiótica, estudos da imagem e análise do discurso, pretende-se fomentar um olhar crítico sobre a dimensão racializada dos produtos midiáticos.

  • Quando? Nos dias 25 e 26 de julho, em uma plataforma de reunião on-line.
  • Quanto? R$50 e compreende dois dias de atividade, com carga horária total de 4 horas.
  • Proponentes: Bruna Rocha, jornalista e mestranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas, e Cassiano Santana, pesquisador, jornalista e escritor.

Memórias da Plantação: Grada Kilomba

O curso on-line é inspirado no livro de Grada Kilomba, Memórias da Plantação – episódios de racismo cotidiano (2008), o qual apresenta e analisa episódios de racismo cotidiano experienciado por mulheres negras. Busca discutir as noções de branquitude, gênero e as contribuições dos feminismos negros no pensamento da escritora.

  • Quando? Nos dias 18, 21, 23, 25, 28 e 30 de julho (seis encontros pelo Google Meet).
  • Quanto? R$ 100 para pessoas racializadas ou cujo acesso é programado a partir da cor da pele ; R$ 200 para pessoas não racializadas ou cuja cor da pele não fecha portas.
  • Proponentes: Ana Aline Furtado, artista visual multilinguagem, Rômulo Silva, poeta e pesquisador, e Rodrigo Lopes, artista, arte-educadora e designer.

Relações Raciais e Branquitude no Brasil (3ª turma!)

O curso objetiva ajudar a(o) aluna(o) a compreender, a partir de uma perspectiva negra, as relações raciais no contexto brasileiro, o modo como o racismo estrutura nossa sociedade e os efeitos do racismo nas vidas das pessoas negras; a caracterizar, desnaturalizar e problematizar a branquitude no Brasil; e por fim, a identificar as possibilidades e impossibilidades de brancas e brancos na luta antirracista.

  • Quando? Uma turma acontece dia 1º de agosto e a seguinte turma nos dias 12 e 13 de agosto, com 4 horas de duração cada.
  • Quanto? R$ 40.
  • Proponente: Izabel Accioly é mestra em Antropologia Social pela UFSCar e graduada em Ciências Sociais pela UFC. Pesquisadora do Hybris, Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades da USP/UFSCar. Negra, mãe e feminista.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support