Campanha “Ceará sem Racismo” vence Prêmio Innovare 2020

Lançada pelo Governo do Estado em novembro de 2019, a campanha “Ceará sem Racismo – Respeite minha história, Respeite minha diversidade” venceu o Prêmio Innovare 2020, honraria que divulga práticas para aprimoramento da justiça e cidadania no Brasil. O anúncio foi feito nesta terça-feira (1º/12).

É a primeira vez que o Innovare contempla uma campanha com esta temática. A campanha cearense venceu na categoria Justiça e Cidadania, e foi enaltecida pelo ineditismo, criatividade e alcance social. Concorreu com outros 646 projetos de todo o Brasil.

Coordenadora de políticas públicas para igualdade racial do Ceará, a professora Zelma Madeira destacou: “essa iniciativa prioriza a humanização de grupos étnicos discriminados que sofrem a discriminação racial, que sofrem para acessar a justiça nesse País, que sofrem as desigualdades. Esse prêmio nos faz acreditar que um outro mundo é possível.”

Ela ressalta que a campanha veio fortalecer a luta antirracista através do combate coletivo às práticas racistas que acontecem no nosso cotidiano e precisam ser desconstruídas diariamente. “A nossa campanha é motivo de muito orgulho, pois fortalece a luta antirracista ao abrir oportunidade de reconhecimento aqueles que sofrem o racismo, ao tempo em que também dialoga com a sociedade como um todo para que entendam como o racismo estrutural nos afeta”, destaca Zelma Madeira.

A campanha aciona a memória e o sentimento de pertença através das imagens de heróis do Brasil e do Ceará que contribuíram com a nação simbolizando resistência e representação identitária. O revolucionário Chico da Matilde (Dragão do Mar) e a revolucionária Preta Simoa, mulher negra importante na luta abolicionista do Estado, que teve sua história invisibilizada ao longo dos anos; Cacique Daniel, indígena da etnia Pitaguary que em vida lutou pela garantia dos direitos de seu povo; Mãe Menininha do Gantois, mãe de santo e representação dos povos de terreiro, e Zumbi dos Palmares, líder quilombola de maior influência no país são as personalidades marcadas na Campanha.

Desde o início, a campanha percorreu 60 municípios cearenses promovendo formações com gestores, servidores públicos e movimentos sociais, de modo a despertar formas de enfrentamento ao racismo estrutural, além de prestar assessoria aos municípios para o fortalecimento e criação de conselhos de igualdade racial.

Para Zelma, o Ceará tem se firmado como um dos poucos estados brasileiro com material consolidado e regionalizado sobre o racismo. “É com muita honra que nós recebemos essa notícia de que fomos premiados em meio a tantos outros projetos. Receber esse prêmio significa muito para nós da Ceppir. É reconhecimento ao trabalho que desenvolvemos no Estado em enfrentamento ao racismo, tanto dentro da máquina estatal como na sociedade como um todo, em prol da justiça racial e do reconhecimento étnico”, expõe a coordenadora.

Com informações da SPS

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *