>
23 de Julho, 2021
pbtn

Percurso Básico de Teatro Negro abre inscrições

O grupo artístico As Griotes está com inscrições abertas para a primeira edição do curso Percurso Básico de Teatro Negro (PBNT). A formação é apresentada como “um levante artístico decolonial sobre a força da produção negra no Ceará” e acontece por intermédio da Lei Audir Blanc.

As inscrições ficam abertas até 23 de janeiro. O curso é voltado para a formação básica de artistas negras e negros. Com toda a equipe de formação e coordenação preta, a ideia é propor ampla discussão sobre o fazer cênico realizado por pessoas negras e seus locais de fala, de modo a serem instigadas politicamente e socialmente nas artes da cena. Além disso, os percursos contam com práticas artísticas que serão baseadas nessas discussões.

Com modelo de formações on-line devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o percurso terá o total de 45 horas/aulas – que serão ofertadas a um público majoritariamente autodeclarado negro e com pelo menos um ano de experiência artística em qualquer área afim.

O projeto conta com a parceria do Theatro José de Alencar. A seleção da turma ocorrerá de 24 a 25 de janeiro e o resultado será divulgado no dia 26 de janeiro. Os aprovados poderão se matricular de 26 a 28 de janeiro e as aulas vão de 2 a 20 de fevereiro, com aulas de terça a sábado.

O projeto é apoiado pela Secretaria Estadual de Cultura (Secult), através do Fundo Estadual da Cultura, com recursos provenientes da Lei Federal n° 14017, de 29 de junho de 2020.

“O PBTN nasce da necessidade de ver uma formação em teatro negro no Caerá”, afirma a atriz e professora Yasmin Élica, criadora do percurso. “O fazer artístico negro tem sigularidades que trazem toda uma historicidade do contexto brasileiro de genocídio negro, de representatividade, de ocupação dos espaços. O PBTN é um sonho que está criando forma e gostaria de agregar ainda mais pessoas a esse movimento de empretecimento de artistas no Ceará”, explica.

As formações são gratuitas e ocorrerão em três momentos, denominados travessias. São elas: Travessia I – ‘Rastros daz’Encruzilhadas’, Travessia II – ‘Corpo Antropológico: práticas para discutir estereótipos’ e Travessia III – ‘CorpOrixá – motrizes ancestrais de criação.’

Com formadores que permeiam os campos do teatro, dança, ciências sociais, performance negra, artes visuais e artes cênicas, o curso trará ações e discussões sobre a transversalidade e interdisciplinaridade na arte.

Segundo Maíra Abreu, atriz e propositora de uma das travessias, a iniciativa dos percursos é antes de tudo um conjunto de possibilidades. “Entender que é importante para as novas gerações de artistas negros e negras ocupar esses espaços; que é possível, sim, ser artista negro nesse País, que podemos construir muitas potências e podemos fortalecer ainda mais os nossos movimentos. Isso é de um impacto enorme. É um arrebatamento”, conclui. Além de Maíra, integram o grupo de formadores Pedra Silva e Rubéns Lopes.

Maira
Maíra
Rubens Lopes
Rubéns
Pedra
Pedra

SOBRE AS GRIOTES
As griotes de teatro nasceu durante a pandemia, em abril de 2020, com o intuito de pesquisar o teatro negro com foco na mulher negra. Em setembro de 2020, o grupo foi anunciado oficialmente ao meio artístico de Fortaleza com suas fundadoras Lara Leoncio e Yasmin Elica enfocando os estudos em teatro negro. O grupo realiza atualmente uma pesquisa sobre o corpo negro feminino no teatro.

SERVIÇO
Inscrições abertas para primeira edição do PBTN
Onde: http://bit.ly/vempropbtn
Requisitos: Ser artista autodeclarado/a negro(a) com no mínimo um ano de experiência
Aulas: 2 a 20 de fevereiro (terça a sábado, sempre on-line)
Horário: Terça a sexta: 18h às 21h / Sábado: 9h às 12h
Quanto: Gratuito

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *