De 17 a 30 de novembro, vai acontecer a sexta edição do Novembro Afro-brasileiro, com a temática: “População Negra produtora de conhecimentos: decolonizando saberes” e transmissão pelo Youtube Oficial da Unilab, além do canal no YouTube do PETHL.

O evento aberto é uma promoção do Setor de Promoção da Igualdade Racial Kabengele Munanga (Sepir), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae/Unilab), além de outros parceiros da Unilab.

Mesa de abertura

O evento de abertura do 6º Novembro Afro-brasileiro, abordando a temática: “População Negra produtora de conhecimentos: decolonizando saberes”, aconteceu no último dia 04, com a participação dos docentes da Unilab: Artemisa Monteiro (pró-reitora da Prointer), Claudilene da Silva (coordenadora do Núcleo de Estudos Africanos, Afro-Brasileiros e Indígena (NEAABI/Unilab), Evaldo Oliveira (coordenador da CDHAA-Propar), Rosângela da Silva (chefe do Serviço de Promoção da Igualdade Racial –  Sepir), seguida com professor Segone Cossa, que proferiu conferência: “Gnose, Saberes e Ciência: o contributo decolonial da população Negra como produtora de conhecimento“, sob a mediação da professora Jacqueline da Silva Costa.

Confira o debate!

PROGRAMAÇÂO do 6º Novembro Afro-brasileiro será transmitida pelos pelos canais do YouTube do PETHL e/ou Youtube Unilab Oficial, com inscrições em links individuais. Participe!!

Em referência ao 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra, a programação reunirá um conjunto de atividades nas áreas de arte, educação e cultura afro-brasileira, sempre sob a coordenação Sepir, em parceria de Coletivos, Pet de Humanidades e Letras Unilab e Projeto ANU.

No dia 17 (quarta-feira), a partir das 14h, via plataforma do Google Meet, a temática em discussão será: “A produção do conhecimento Afro-brasileiro através da música”, com a participação de Nayara Braz, JPreto e Moniz New-King. Participe pelo Formulário de Inscrição!

Falar sobre musicalidade negra nos remete a um histórico de marginalização. Como diria o rap Bacu Exu do Blues “Tudo que quando era preto era do demônio e depois virou branco e foi aceito, eu vou chamar de blues”. O blues, o rock, o samba, funk, o rapper, todos esses têm em comum a perseguição e criminalização daqueles que os praticavam, pessoas negras.

A música é uma manifestação artística e cultural de entretenimento, contribui para o desenvolvimento humano em diversos aspectos da vida. Para a população afro-brasileira, a música tem um propósito para além do entretenimento, é utilizada como método no processo de ensino e aprendizado, em que se compartilha questões do dia a dia, fatos históricos, princípios e até mesmo críticas sociais.

Dia 19 (sexta-feira), a partir das 14h, com transmitido pelo canal YouTube do PETHL, será o lançamento da revista digital “África na Unilab”.  Para garantir a certificação, é necessário realizar inscrição prévia no formulário on-line.

A atividade conta com a presença da professora do Instituto de Humanidades (IH), do curso de Pedagogia e do curso de Humanidades (BHU), Jacqueline Costa e Silva, as idealizadoras do projeto África na Unilab (ANU), as egressas Wilma Quadé, Nádia José e a bolsista do Pet, Maria da Luz Fonseca, além da mediação da comissão do projeto, Beth Silva, Ana Cássia Alves e Rodrigo Peixoto.

No Dia da Consciência Negra, data da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, (20 de novembro de 1695), teremos o Sarau dos/das intelectuais negros/negras.

No dia 22, a temática: “Projeto Mulheres Negras Resistem: compartilhando projetos afetivos, teóricos e políticos” será apresentada pela professora do IH/Unilab e vice-coordenadora do Mestrado em Antropologia, Vera Rodrigues. Transmissão pelo Youtube Oficial da Unilab.

Dia 24, a conversa será sobre: gênero, raça e classe no ensino e na gestão pública: diálogo transgressor entre Paulo Freire e bell hooks, com a professora do curso de Pedagogia (IH/Unilab), Matilde Ribeiro. Atividade via plataforma do Google Meet, entre pelo LINK!

O encerramento, no dia 30, a partir das 15h, o discurso da Conferência, em tempo de Pandemia da Covid-19: “Intelectualidade Negra: Avanço Tecnológico no Combate à Covid-19”, com o conferencista, professor do Instituto de Engenharia e Desenvolvimento Social (IEDS/Unilab), Sabi Y. M. Bandiri – engenheiro elétrico com ênfase em Eletrônica e Telecomunicações. Com mestrado em Telecomunicações e doutorado em Engenharia Elétrica. Transmissão via Youtube Oficial da Unilab.

PROGRAMACAO 6 NOVEMBRO AFRO 2021 575x1111 1
Share.

Leave A Reply