As Fábricas de Cultura, programas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis, estão com uma programação dedicada às comemorações do mês da Consciência Negra, com destaque para a produção cultural e o empreendedorismo de mulheres negras. Todas as atividades são gratuitas e ocorrerão de forma on-line.

Na atividade “Empreendedorismo, mãe solo e seus corres”, a facilitadora e produtora cultural Michelle Serra conversa com o público sobre sua experiência no empreendedorismo em comércios e serviços, sendo mãe solo. A atividade será realizada no dia 17 de novembro, às 17h, no Instagram das Fábricas de Cultura.

Dialogando com o mês da Consciência Negra e o Dia do Empreendedorismo Feminino, a atividade “Empreendendo e aprendendo no audiovisual”, ministrada por Thais Scabio, criadora da Cavalo Marinho Audiovisual, abordará as perspectivas do empreendedorismo no audiovisual e compartilhará experiências sobre este cenário com reconhecimento em ascendência na era dos streamings. O bate-papo será no dia 19 de novembro, às 17h.

O empreendedorismo afro continua em destaque com o bate-papo entre Letícia Santos e Zelma Tranças, no dia 25 de novembro, às 19h. Em “Trançando Histórias”, Zelma irá contar um pouco sobre o trabalho que realiza há mais de 30 anos na região de Osasco (SP), sua influência entre novos profissionais da área com ações de formação, e sobre seu próprio negócio, o salão especializado em beleza afro.

Os bate-papos promovidos pelas Fábricas de Cultura também abordarão outras temáticas relacionadas à cultura afro, como os cuidados com a pele negra. No dia 20 de novembro, às 20h30, o canal do YouTube das Fábricas irá transmitir a conversa com a farmacêutica esteta Arina Gabriela, que contará um pouco sobre as características da pele negra e abordará os mitos que cercam essa pele.

No dia 14 de novembro, às 20h30, o bate-papo será com Gisele Pinheiro. Na conversa “Consciência Trans Negra”, Gisele falará sobre o projeto Lambidas Periféricas – Arte Política nas Ruas, que abrange as periferias da zona sul da capital. O projeto realiza intervenções visuais de lambe-lambe, stencil art e grafite, nas ruas da Favelinha City, visando evidenciar as temáticas da negritude LGBTQIAP+ das periferias.

A programação das Fábricas de Cultura ainda inclui a exibição de produções audiovisuais que tratam da cultura afro-brasileira. No dia 24 de novembro, a partir das 16h, será exibido o filme “Congado”, de Érica dos Anjos, obra que aborda importante manifestação cultural imaterial do Folclore brasileiro, o congado, que é apresentado no filme pelo ponto de vista histórico e de valorização da representatividade do povo negro, a fim de desmistificar a festa e o sincretismo religioso existentes no tradicional folguedo histórico, símbolo da memória popular.

A música também terá destaque na programação do mês com o show “Entre Águas, com Samantha Rebelles”, transmitido online no dia 20 de novembro, às 18h. Em um trabalho intimista, voz e violão, a cantora Samantha Rebelles apresenta um espetáculo autoral que saúda as grandes mães cultuadas nos terreiros do candomblé, as yabas Oxum, Iemanjá e Iansã, trazendo a relação entre a música negra brasileira e as diásporas africanas.

No dia 27 de novembro, o teatro da Fábrica de Cultura Brasilândia recebe o show presencial “Brasilidade – Muito Prazer, as Iyálódes”, organizado pela produtora cultural e musical Djembe Produções e Entretenimentos. A partir das 16h, as cantoras Natália Ribeiro, Patrícia Toledo e Priscila Benedito irão apresentar o poder feminino da mulher negra dentro do cenário musical através das músicas de compositoras negras e/ou que fizeram sucesso nas vozes de cantoras negras.

A cultura afro também terá espaço no teatro por meio da peça “Urucungo (Berimbau)” apresentada pelo coletivo Quebrando a Cabaça Espalhando Sementes. A história de “Urucungo” Berimbau trabalha com a ancestralidade para mostrar como surgiu esse instrumento que possui tanta energia, musicalidade e inspirações. A apresentação será realizada no dia 20 de novembro, às 16h.

Na atividade “Afrogames”, com o gamer Sue The Real, o público entenderá como trabalhar o imaginário através dos videogames. Neste bate-papo no Instagram das Fábricas de Cultura, o gamer Sue The Real conta como os jogos influenciam o pensamento e como criar artisticamente com eles. O encontro será realizado no dia 13 de novembro, às 16h.

No canal do Youtube das Fábricas de Cultura, o público poderá acompanhar a apresentação “Esse é o Nosso Poder”, promovida pelo Festival Poder Preto. A apresentação, realizada no dia 17 de novembro, às 16h, traz algumas reflexões construídas por jovens frequentadores da Fábrica de Cultura do Capão Redondo, uma mostra que reflete os impactos da unidade.

Outro destaque da programação é a oficina “Akilomba: Turbante”, que trará ensinamentos a respeito dos turbantes, como técnicas de amarrações e novos designs, com foco na valorização do empoderamento e autoestima da mulher negra. A oficina será realizada no dia 16 de novembro, às 18h.

As bibliotecas das Fábricas de Cultura também terão uma programação voltada para o mês da Consciência Negra. Na Fábrica de Cultura Jaçanã, a equipe da biblioteca realizará a contação “Meu Crespo de Rainha”, de bell hooks, no dia 12 de novembro, das 11h às 12h.

Já a Fábrica de Cultura Jardim São Luís promoverá a atividade “Em Nome das Pretas”, que destaca nomes de mulheres trans e travestis negras de forma a trazer um pouco da história desses corpos negros e periféricos e sua a influência no meio LGBTQIA+ e na sociedade como um todo. A atividade será realizada no dia 18 de novembro, das 10h às 11h, com a disponibilização de um vídeo no Youtube das Fábricas de Cultura.

Share.

Leave A Reply